• Sara Brunelli

Vestir-se para o outro é a maior perda de tempo e dinheiro que existe.

Tá, pode até não ser a maaaaior de todas - mas como o meu assunto aqui é moda eu vou fazer essa comparação sim :) Dia desses já falei por aqui que sempre vai ter alguém pra odiar seu look, né? E é real, porque a gente também odeia um monte de look por aí.


Não gostar de uma peça ou uma cor é uma etapa fundamental na hora de entender o próprio estilo porque ela cria essa regra maravilhosa: não gostei, não uso. Claro que é uma regra que vai mudar muito ao longo da vida, mas o legal mesmo é levar ela em consideração no presente.


Lembrando que isso não dá aval pra ser babaca


Quando eu falo que tudo bem odiar looks por aí eu não tô falando de destilar ódio ou comentários desnecessários para as pessoas. Pensa só: dá pra achar feio e ficar quieta. Inclusive, é importantíssimo achar feio e ficar quieta. Não rola projetar a nossa insatisfação pro outro, afinal, o gosto é inteiramente nosso e o outro não tem nada a ver com isso.


Da mesma forma, pensa que horror se toda hora tivesse alguém falando o quanto odiou a sua roupa. Não dá, né?


Nem-na-internet.


Essa tela que a gente passa o dia todo, seja na mão ou na mesa, não pode mudar o respeito que a gente tem pelo outro. Não dá pra abrir uma rede social e despejar ódio sobre a roupa de alguém. Não importa se a pessoa tá lá no BBB, sendo assistida pelo Brasil todo: isso não é liberação pra gente ficar o dia todo fazendo piada sobre uma peça de roupa que ela usou.


Por isso não dá pra se vestir pro outro


Buscar aprovações em todo look é furada porque a gente nunca vai agradar todo mundo. Sendo mulher então: o problema nem é a roupa, mas ela é colocada como se fosse. Só por ser mulher a gente já desagrada.


Vestir uma roupa poderosíssima, por exemplo, como saltos e terninhos, não vai garantir uma imagem de sucesso. O conforto até pode, porque é só com ele que você vai conseguir fazer tudo o que precisa fazer no dia - e tentar alcançar o sucesso daí.


E digo isso lembrando que a sua imagem pode influenciar em vários pontos do seu trabalho sim! Imagina só: uma artista bem criativa que traz isso sempre pros looks? Ou a dona de uma marca que é a melhor influencer da própria loja? E uma psicóloga que busca acolher ainda mais usando cores e modelagens? Tudo isso é estratégico, é ótimo, mas você percebe que não é uma mágica de use isso e tenha isso, né? É um dos váaaarios pontos de uma construção estratégica.


Então oh, dá super pra pensar a imagem de forma estratégica. O que não dá é seguir uma regrinha ultrapassada e esperar milagre a partir disso.


Sendo bem direta ao ponto


Roupa custa dinheiro, tempo de escolha, de manutenção, espaço na sua casa, de montagem de look. Fica em contato direto com sua pele o dia inteiro, vai contigo pra todos os lugares e é a primeira coisa que uma pessoa vê em você. Pensando nisso tudo: será se dá mesmo pra não priorizar a gente nessa? Olha só que furada se a gente levar muito mais o outro em consideração do que a gente.


Todo esse investimento, de tempo e dinheiro, é desperdiçado tentando agradar alguém que a gente nunca vai agradar - ou que nem vai prestar tanta atenção na gente assim. Porque olha só, pensa comigo: você consegue lembrar muito bem a roupa das outras pessoas? Passou aquele contato ali do momento, você ainda vai lembrar depois e julgar isso, ficar remoendo e pensando o quanto não gostou?


Eu chuto que a maioria não - mas se você for sim, busque ajuda.


Eu sei que isso não vai mudar da noite pro dia


E muito menos com um texto meu aqui, né? Mas já aprendi que não preciso escrever pra mudar o mundo - posso só ir plantando sementes do que eu acredito. E olha, se tem uma coisa que eu acredito MUITO é que a vida é mais gostosa de ser vivida & observada quando a gente se veste da gente mesma, sabe? Tentando menos acertar (pra que? pra quem? quem dá esse gabarito?) e mais expressar esse mundo que existe dentro e fora da gente.


No meio disso tem um monte de privilégio, tem quem pode mais e quem pode menos, tem conta pra pagar, cansaço e medo... tem tanta coisa que ultrapassa o nosso vestir, né? Por isso é uma luta incessante mesmo, pra todo mundo ir caminhando em busca dessa libertação.


Aproveitando: se você ficou empolgada pra repensar o seu vestir, clica aqui e vem fazer uma consultoria comigo!