• Sara Brunelli

Quando a terceira peça não resolve, pra onde a gente corre?

Quem nunca leu uma dica de moda indicando terceira peça que atire o primeiro salto. Nada contra: funciona SUPER, mas só quando não tá muito calor, né? Mas e se tiver, o que a gente faz?


Eu já queria escrever sobre isso há muito tempo! Aí rolou inspiração hoje - justo no dia que caiu a temperatura em tudo quanto é canto. Mas tudo certo, vai esquentar de novo, eventualmente, é Brasil. Tem lugar que nem esfriou. Então foco aqui.


Não dá pra depender de uma coisa só


Certa vez atendi uma cliente na consultoria de moda que morava fora do Brasil e comentou comigo que, no país que ela tava, ninguém entrava na casa de outra pessoa com sapato. Chegando no rolê era obrigatório tirar o sapato e, por isso, não adiantava colocar o ponto alto do look ali, no pé. Justo, né?


Aí eu também lembrei que já li váaaarias vezes váaaarias pessoas reclamando que tudo era terceira peça. Quer ficar mais chique? Coloca um blazer. Tá sem graça? Kimono. Quer dar um tcham? Joga um casaco. E assim, não dá né? Por mais leve e fresquinho que o tecido seja a gente não quer ficar se enchendo de camadas num calor de 40º.


Tem que ter outro jeito.


Por que o nosso estilo ainda é europeu?


Não tem como falar disso e não parar pra pensar (e questionar) que muito do que a gente vê como estiloso (e deseja) vem lá de fora. A gente tem muita dificuldade em ver como chique e bela a moda produzida aqui, as referências daqui. Isso cria frustração - e muita! O nosso corpo é diferente, nossa temperatura, nossa moeda, nossos materiais, nossa cultura, tudo! E tudo isso está diretamente ligado na moda.


Então assim, um ótimo jeito de começar é olhar mais pra cá e menos pra lá, né?


Tá, mas o que a gente faz?


Entenda a sua realidade

Se você mora num lugar super quente as suas referências de estilo e inspiração precisam se adequar a isso. Mirar no estilo de uma pessoa que enfrenta o frio quase o ano todo vai fazer você se frustrar: as cores, os tecidos, as modelagens, tudo é diferente porque tudo é adaptado às nossas necessidades.


Além disso, vários pontos da nossa vida definem o que a gente usa - muito além do nosso gosto. Se você tem filho pequeno, por exemplo, pode sentir dificuldade em usar brincos muito grandes porque ele vai querer puxar toda hora. Com a terceira peça é a mesmíssima coisa: mesmo que seja só um lenço, tem temperatura que não deixa meeesmo e tudo certo, foco em outra coisa.


Estilo não depende só de roupa

Quando a gente pensa em reformular o estilo sempre vem roupa na nossa mente, né? Normal. Mas é bacana pensar fora disso, englobando tudo o que pode ser usado como expressão. Uma acessório, uma make, um cabelo, uma tatuagem, uma bolsa, um jeito de se comunicar, sua casa, a música que você ouve, tudo.


Focar não só em roupa faz, inclusive, com a gente olhe diferente pras roupas.


Ao invés de colocar mais peça, pensa nas peças que já estão lá

Se a calça com a blusa tá muito sem graça e te incomodando você pode investir em modelagens e tecidos mais interessantes! Não precisa ser o diferentão, mas só sair do óbvio já ajuda. A t-shirt, por exemplo, pode ganhar uma cor menos óbvia, ser mais over, mais cropped. O short pode sair do jeans e ir pro linho, pra viscose, virar bermuda ou ficar mais curto.


Esse exercício é muito legal: imagina uma calça na sua cabeça. Ok, esse é o seu óbvio. Agora vai mudando coisas nela: comprimento, largura, tecido, cor, cós... assim você vai chegando no seu não-óbvio. Lembrando que ele não precisa ser diferentão pra ser válido. Cada um tem seu óbvio, seu básico, seu sexy, seu chique: entender isso é tarefa essencial pra gente começar a se vestir mais pra gente e menos pro outro.


Truques de styling <3

Amarra uma blusa, dobra uma barra, coloca um broche, passa uma fita, um cinto, um laço, faz um bordado, desenha uma estampa... olha o tanto de possibilidade que não envolve colocar mais uma camada de tecido! E o melhor de tudo: você encontra esses truques aos montes pela internet. Pesquisa assim oh: truques peças tal, truques de styling, como amarrar camisa, como dobrar barra da calça.


Além disso, leva na costureira, modifica a peça, faz uma gracinha nela... tudo isso ajuda a dar o tal do acabamento no look tão prometido pela terceira peça.


E aí, te ajudei? Ou pelo menos acalmei o teu coraçãozinho que não aguenta mais ouvir falar de terceira peça? Espero que sim. E oh, lembrando que posso te ajudar ainda mais: é só vir aqui pegar uma vaga na minha consultoria de moda.


Beijos a até a próxima!