• Sara Brunelli

Precisa anunciar que é o primeiro?

Isso sempre me travou. Sempre mesmo. O pensamento de que o primeiro precisa ser épico, memorável e dar certo - senão invalidaria todo o restante. E embora aqui eu esteja falando do primeiro post do blog do moda crônica, isso se aplica a tudo.


Eu não sou fã da frase "melhor feito do que perfeito" mas assumo que ela tem todo o sentido do mundo e que é um plano fortíssimo para 2021 começar a executá-la. Até por isso eu sentei aqui, poucas horas antes de publicar o site, para escrever o que viesse a mente.


Sem neura de primeiro post incrível, técnicas de SEO, revelações bombásticas sobre moda ou apelo visual. Apenas eu, um notebook e algumas muitas palavras.


Até porque foi exatamente assim que o moda crônica começou, lá em meados de junho, em plena pandemia. E se você está lendo isso anos depois: sim, pandemia! 2020 foi um ano péssimo. Mas eu não quero falar disso.


Quero falar que "foi na louca" que eu acordei, no meio de um isolamento rigoroso por suspeita de covid e decidi que era a hora de pedir demissão. E não, não foi pela moda. Foi pela minha saúde. Pela minha insatisfação. Por estar sem rumo. E por outras tantas coisas que eu não quero lembrar.


O moda veio, então, como um alívio. Uma saída pra alguém que sempre estudou e praticou moda, mas nunca quis se rotular ou se inserir nisso. Motivos? Medo. Do julgamento, do mercado, da "futilidade", da não vontade de desenhar roupas (pelo menos não agora, mas eu sou geminiana tá?).


Criar o moda foi ocupar um espaço que sempre foi meu. Aquela coisa de sangue, de veia, de paixão sabe? História de amor com direito a destino e final feliz.



 


Sou formada em Comunicação Social e já atuei com marketing, fotografia e escrita. Hoje junto tudo isso na moda, criando marcas (pessoais e corporativas) apaixonantes, aliando moda e imagem de uma forma que só o branding é capaz.


Sempre com conhecimento, construção e diálogo.


Sou defensora fervorosa dos novos jeitos de fazer moda, pregando a inclusão, a diversidade, o respeito, a sustentabilidade. Por uma moda que seja expressão e não exclusão. Que crie identidades passíveis de mudança e que quebre todas os lados da caixinha.


Eu sou a Sara Brunelli e tenho muito orgulho em me apresentar, hoje, como uma comunicóloga especialista em moda. Te convido a passar sempre por aqui, ler e refletir comigo. Todo o conteúdo por aqui é nosso. Seja muito bem-vinda, mulher!

2 comentários