• Sara Brunelli

Como descobrir o seu estilo?

Atualizado: 6 de set. de 2021

Desde quando eu comecei a aprofundar as conversas sobre estilo lá no meu instagram a dúvida que mais chega até mim é a mesma: como eu defino o meu estilo? E, na maioria das vezes, ela vem seguida de: como ser elegante, sexy, feminina, criativa e divertida, mas também madura e com uma pitada de sal e azeite?


E aí eu fico batendo a cabecinha na parede - mentalmente falando - sobre como responder isso de uma forma que a pessoa vá, realmente, conseguir pegar o caminho certo para definir o próprio estilo ao mesmo tempo em que eu preciso fazer ela entender que não é bem por aí que a banda toca.


Definir o próprio estilo é um processo que leva tempo, autoconhecimento, conhecimento de mundo, mistura de sensações e desejos, imagem percebida, imagem projetada, consciência corporal e mais uma série de processos importantíssimos e que não podem ser ignorados. Claro, isso tudo pra definir, mas começar já está de bom tamanho.


Por isso eu resolvi trazer pra essa postagem três passos fundamentais para começar a pensar o próprio estilo da maneira correta - ou seja, que vai realmente dar resultados, viu? Se você tem dificuldades nessa percepção, continua lendo aqui.


Não busque uma nomenclatura


Os sete estilos universais (clássico, elegante, básico, sexy, romântico, moderno e criativo) são um bom ponto de partida para entender mais sobre o que significa um estilo, como conseguir visualizar através de elementos e pensar nessas junções com significados.


Pensando sobre os sete, você já consegue ver melhor o que te representa pouco, muito ou nada.


Só que o principal erro está justamente em ver esses sete estilos como a meta final - sendo que eles não são. Aquela regrinha de “você é uma mistura de três estilos” não é válida na minha metodologia porque você é muito mais que esses estilos. Consequentemente, você é muito mais que uma nomenclatura.


Sem contar que esses nomes foram pensados para um contexto que nem existe mais. Para mulheres que não somos nós.


Por isso eu digo: pense em você mesma como um parágrafo. E não se limite nele.


E tem outro ponto


Quando vamos definir o próprio estilo costumamos pensar sempre na roupa - e moda não é só roupa. Moda é comportamento. Por isso, ao pensar o seu estilo, pense em comportamentos que você tem perante às suas roupas e são sobre elas em si.


Dê adjetivos para os adjetivos


Se eu falo tanto que os estilos são únicos, que cada pessoa pode - e deve - se expressar da sua forma - isso significa que você deve sempre adjetivar suas características o máximo que puder (para conseguir completar, inclusive, esse parágrafo que te define).


Pensando assim o seu ousado pode ser mais acessível ou mais glamouroso. O seu clássico pode ser completamente conservador ou pode se arriscar de vez em quando. Você pode gostar de chamar atenção ou preferir ficar mais no básico. Você pode ser minimalista nas cores mas arriscar muito nas modelagens.


Tudo isso é válido e precisa ser pensado dentro da construção do seu estilo. Quanto mais detalhado, melhor.


Cuidado ao se limitar


Voltando naquilo que eu te contei lá em cima, sobre querer ser tudo ao mesmo tempo: isso está muito mais ligado a uma ideia de limitação do que de abraçar vários estilos. Explico: é quase que uma busca por uma validação para ser o que se quer ser, e essa validação sempre vem abraçada de uma limitação.


É sobre querer ser elegante mas precisar de uma validação para ser divertida também, porque a gente já parte do princípio de que um não pode existir junto com o outro.


Nessa a gente cai naquelas ideias de sempre, do pode não pode, do devo não devo, do evite e aposte. E isso não constrói estilo.


Conhecimento constrói, e conhecimento não limita - mas seleciona, pondera, faz uso estratégico e por aí vai.


Esses três passos são importantíssimos para você pensar mais sobre o seu estilo para além das regrinhas e dicas rasas que vemos muito por aí. E claro: eles não dispensam um bom trabalho de uma consultora, para continuar a te guiar de forma correta nesses resultados.


Você vai perceber que, após definir e entender como aplicar o seu estilo a vida muda - porque ele vai respingar em exatamente tudo na sua vida: seja nas horas a menos que você gasta para se decidir, seja no prazer em conseguir se expressar em mais uma das diversas formas que você tem para ser você.