• Sara Brunelli

Como consumir moda de forma mais sustentável?

Atualizado: 6 de set. de 2021

Eu já quero começar falando que você não vai mudar o sistema comprando em brechó. E que nem é responsabilidade da sua blusa nova mudar o sistema - porque o problema real está muito além do nosso alcance. Não é a nossa blusa nova, é todo o mercado que produz essa blusa e a lógica em que esse mercado está inserido.


Isso, é claro, não impede que façamos sempre o melhor que pudermos - e consumirmos de forma mais consciente e sustentável faz parte disso.


Por isso eu resolvi trazer alguns pensamentos sobre esse tema e, principalmente, sobre o que podemos fazer sobre ele.


Comprar menos é mais efetivo


É bacana demais se atentar ao material da peça que você está usando, priorizar roupas de segunda mão e incentivar aquela marca pequena e que pratica o slow fahion de verdade. Mas sabe o que é melhor que isso tudo? Comprar menos.


Nenhuma dessas práticas funciona se você continuar comprando além da conta, além do que precisa, além do que você pode. Pegar uma roupa nova no brechó toda semana ou ter várias camisas iguais de tecido sustentável para reduzir o seu impacto não faz muito sentido. É só pensar um pouco em toda a logística de compra, resíduo, lavagem, tendência, desejo e etc para ter uma visão mais ampla do problema.


E aqui eu quero fazer um destaque: sim, desejo, porque na sociedade em que a gente vive não dá pra usar apenas do discurso "não compre" e ignorar que somos bombardeados pela vontade de comprar o tempo todo. Por isso, reforço: compre menos. Foque nisso. No menos.


Incentive quem faz direito


Muitas marcas até começam com os processos bem certinhos: pesquisando bem os fornecedores, remunerando justamente, reduzindo o descarte, se preocupando com o tecido. Mas isso custa (e custa mais do que não fazer bem feito).


Sendo assim, sempre que puder, incentive as marcas que estão nesses processos mais conscientes para que elas tenham como continuar dessa forma. Visibilidade, prioridade na compra, qualquer tipo de apoio é válido e necessário não só para mostrar que "o trabalho é bom, continuem" mas para que essas marcas tenham como $$ continuar.


Conheça você mesma


Falar de estilo pessoal é muito gostoso - e é melhor ainda quando a gente percebe que não é só pra se vestir bem, mas também para diminuir o descarte e as compras erradas. Pensa só: se você não sabe o que você gosta, o que faz sentido pra você, o que você usaria por anos, adianta do que?


Você vai ficar consumindo roupas que não suprem o frio que você sente, que te fazem enjoar da cor em poucos meses ou que não passam a mensagem que você gostaria (e por isso não são usadas e só estão aguardando o próximo desapego).


E, para isso, tem duas saídas: você pode pesquisar muito, fazer exercícios diários e percorrer esse caminho por conta própria ou contar com alguma ajuda profissional para encurtar o caminho e deixar o processo mais gostoso (e nós estamos aqui para essa segunda opção).


Seja qual for relevante para você no momento, não deixe isso passar. Se conhecer é libertador.


Lave menos suas roupas


Essa não é necessariamente de consumo, mas é válida porque é uma prática que você terá com as roupas que comprou. E aqui eu te dou dois motivos:


As lavagens excessivas destroem suas roupas. Água quente, produtos químicos, a forma de lavar, tudo isso afeta o tecido, a cor e a vida útil da peça. Ou seja: quanto menos você lava, mais ela dura. Quanto mais ela dura, menos descarte. Mas olha só, não estamos falando pra você andar com roupa suja por aí. E sim cuidar melhor no uso para que elas não sujem tão facilmente e observar o estado de cada uma antes de só jogar na pilha de roupas sujas.


Aliás, algo que funciona muito por aqui: tenha um local separado para as roupas nem tão limpas para o armário e nem tão sujas para a roupa suja. E que esse local seja, de preferência, visível e de fácil acesso.


Tecidos que possuem plástico na composição (como o poliéster, muito comum hoje) liberam microplásticos a cada lavagem. Esses mesmos microplásticos vão parar nos rios e mares depois. Ou seja: menos lavagens, menos resíduos.


Inclusive, se você quiser uma postagem só sobre como conservar suas peças sem lavar em excesso comente aqui embaixo, vou adorar escrever sobre.


Viu como é relativamente tranquilo colocar pequenas ações no dia a dia para repensar nossa forma de consumir e lidar com a moda? Nada disso vai mudar o mundo de imediato, mas já aquele bom respiro da "minha parte sendo feita" e uma força maior para ir além e fazer mais.


Obrigada por ler até aqui!


1 comentário